"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

11 janeiro 2011

sobre lagartas e borboletas



ao olhar assustada uma lagarta, daquelas bem longas, peludas, você nunca imagina que, um dia, ela abrirá as asas. e num impulso de medo, pega o sapatinho de veludo e mata aquela que um dia voaria, espalhando cores.

Um comentário:

Valdemar Neto disse...

Retrataste bem a morte da beleza, vítima da ingnorância... Gostei disso: simples, direto e belo...

Parabéns..