"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

21 fevereiro 2011

Carta a uma amiga distante



Amiga,

Quisera poder escrever as mais doces palavras e dirigi-las a você sem que lhe cause nenhum constrangimento, nenhuma dor a mais, além desta que você há tanto tempo está a sentir. Tenho acompanhado de perto essa montanha russa que são seus sentimentos: profundezas íngremes seguidas de loopings nauseantes. Aí você para, retoma o fôlego e decide voltar e repetir as acrobacias tão caras a seu estômago e a sua mente. Olho esse comportamento e me encho de vontade de ir aí pra perto, pegar você pelos ombros e dar uma boa sacudida. Ou gritar aos seus ouvidos bem alto, com toda a força dos meus pulmões. Pegar cada pálbebra sua com as unhas e abrir seus olhos, seus lindos olhinhos míopes. Mas não posso fazer isso e você sabe o motivo.

Mas hoje resolvi que falaria a você de qualquer jeito.

Primeiro: você precisa saber que não existem culpados. Se as coisas acontecem, elas acontecem e só. Se nada sai como planejamos é por que não dependiam somente de nós. Tudo o que envolve duas ou mais pessoas é imprevisível. E não pense que digo isso por que estou do outro lado. Saiba que estou do seu lado. O mesmíssimo lado.

Segundo: se não depende mais de nós, não adianta escrever e reescrever a mesma lamúria, o mesmo lamento, com as mesmas palavras apenas com ordem invertida. Veja além, perceba o quão egoístas nós somos, olhando-nos vaidosamente ao espelho, orgulhando-nos das nossas lágrimas, nos achando as maiores sofredoras do mundo, achando que ninguém nunca sofreu tanto sofrimento, que ninguém nunca chorou tanto choro, que nenhuma tristeza foi tão triste. Abre os olhos, amiga, o mundo é maior. E como você mesma diria, Deus é mais!

Terceiro: se alguém nos faz sofrer é por que nós deixamos isso acontecer. Isso de amor "conservador e progressista" não existe, bebê... Minha mãe sempre me diz o seguinte: o caminho só se faz quando os dois caminham juntos. Pare um pouco pra pensar: quem caminhava com você era a mesma pessoa com a qual você caminhava? A pergunta parece tola, mas você verá que faz todo o sentido!

Quarto: o que passou, realmente passou. E tudo passa e se repete debaixo do sol. Inútil querer entender, chorar por que não entende e condenar o mundo pela nossa incompreensão. Inútil mais ainda se ferir e machucar o próprio coração pensando em tudo aquilo que poderia ter sido e que não foi, como diria Bandeira. O que foi, foi. Somente o futuro está nas nossas mãos e ele depende do hoje, do agora. O que fizemos é de domínio do esquecimento. Cedo ou tarde ele chega.

Quinto (e não menos importante): viva, amiga. Deixe de olhar pra trás, de querer ter aquilo que você nunca teve. Olhe adiante! Repare no céu: veja quantas estrelas brilham e não precisam de você! Veja como as flores estão cada dia mais coloridas e não precisam de você para serem assim! Veja como as pessoas seguem banais, bobas, cotidianamente absorvidas pelos mais frugais afazeres. Ande pelo mundo de olhos e nariz abertos: prove novas cores, novos aromas, novos sabores... Conheça, permita-se conhecer a si própria! Retire um pouco a maquiagem e experimente a cara limpa. Permita-se errar mais uma vez.

E por último, leve o que escrevi em consideração. Não pense que quero saber mais do que me é permitido. Isso que escrevi, também estou tentando praticar. Não é fácil. Você bem sabe. Mas quem disse que viver é fácil? Não lembro de alguém já ter me prometido isso. Viver tem suas consequências e o amor é uma delas. Infelizmente, há muito amor desperdiçado por aí, mas eu prefiro acreditar que as ações do coração nunca são em vão. Apesar da péssima rima pobríssima, essa é a verdade. Mas quem disse que a verdade é bela sempre, mesmo quando há amor? Quem disse que a vida é bela sempre? Quem um dia disse isso, mentiu. E mentiu feio, amiga. E nós aprendemos apenas assim: apanhando na cara. No início dói. Mas depois a gente esquece, pra lembrar de vez em quando. Muito de vez em quando.

3 comentários:

Fernanda Castro disse...

Você sempre se torna mais preciosa e importante na minha vida, simplesmente por existir. Me vi nessa carta! confesso que ultimamente meu coração anda tão estranho que nem escrever algo que preste eu consigo. Tô quase um mês nessa 'sequidão', mas Deus é mais! =D Bjo...je t'adore mon fleur amie!

Luciana Rodrigues disse...

Li o texto ontem à noite!Fiquei tão incrivelmente maravilhada com sua capacidade de bela escrita que nem tive palavras para comentar.

Ainda bem que hj catei essas palavras e coloquei-as aqui!

bjao

s. disse...

Vocês é que são lindas!
Obrigada pelo carinho e pela generosidade.
Essa carta é para nós!

Bjs!