"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

21 março 2011

é doce ser azul

é doce ser azul.
não obstante a palidez dos desmaios,
não se cansar dos fulminantes desejos.
e guardar na unha o segredo dos vultos,
e o perfume de nuvem solta.

é doce ser azul.
e velar o pasto tranquilo de beijos
guardados para a quimera em flor.
para além do bem e do mal,
amar as ruínas do inconstante ser.

é doce ser azul.
e se deixar guiar por cores várias,
e se deixar cegar pela lucidez.
e se deixar levar pelo azul do azul do azul...
e parir azul.
é doce ser azul.

Um comentário: