"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

20 maio 2011

carta aos professores

para Amanda Gurgel

O mundo não cabe nas minhas mãos. Nem mesmo o país, ou meu estado cabem nas minhas mãos. Talvez, se eu me multiplicasse - miraculosamente - minha cidade coubesse em minhas mãos. Mas, sendo uma, o que me resta é minha casa e a profissão que escolhi pra mim. Vejo estudiosos a discutir métodos, técnicas, teorias que fogem às cores reais dessa tela cansada da educação. Vejo nossos dirigentes perdidos em sua tarefa de solucionar tais questões. E me vejo de mãos atadas, solta, largada, com a missão
de salvar o futuro, enquanto meu presente perece todo dia. Não foi essa missão que escolhi. Não basta apenas dom, vontade... Não basta amor pela profissão... Professor é gente com necessidades, anseios, desejos... e amor: aos livros, aos estudos, aos alunos. Mas não apenas isso. A gente quer viver, não apenas sobreviver. A gente quer sonhar e poder realizar e não apenas envelhecer sem ver outros sóis. A gente quer ter esperança de fazer acontecer e não apenas tê-la e fim. A gente quer viver e ser professor.

3 comentários:

Luciana Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joaoletras disse...

oi amiga
ótimo texto.
nós professores temos mesmo que lutar contra o descaso das autoridades.
é por isso que estou com mais de vinte dias em greve.
um beijo
joao

Luciana Rodrigues disse...

Lindo texto amiga.Que as outras pessoas entendam que todos os professores necessitam de outros sóis para viver.Lindo,lindo.