"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

20 abril 2015

Não queira saber-me mais.
De tudo o que sou, 
o mundo já sabe a infértil espuma.

Não queira entregar-me mais.
A vida não me permitirá segurar
Mais esse laço e fazer dele um nó.

Não queira dizer-me mais.
E fazer da confissão a dívida
que nos segurará até a curva do horizonte.





2 comentários:

Fco Barroso disse...

Olhei, senti e gritei mudo...Mas me peguei sem saber dessa "curva do horizonte" (Teria que ser poeta talvez...Perdoai!) Bj,querida professora. Ansioso por mais alguns escritos rsrsrs :D

Shenna Rocha disse...

Barroso, meu caro amigo, não leve tão a sério essas minhas brincadeiras... rsrsrsr Um abraço forte! Obrigada pelo incentivo.