"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

06 março 2010

não é nada.
sei que não é nada.
é qualquer coisa,
menos aquilo que você espera.

repita infinitamente,
no íntimo,
que não é nada.

não pense, não sonhe,
não conjecture, não especule,
não caia nessa esparrela
novamente.

não, por favor,
novamente não...
não ceda, não vá,
não creia.

azede seu doce,
salgue a carne,
tome seu café amargo,
sinta a realidade.

mas não, por favor,
não pense,
não sinta,
não relembre.

não há interpretações
não há sentidos
a estabelecer,
não há nada
possível a fazer.

corra.
fuja.
refugie-se.
console-se, amparada
no esconderijo.
cave buracos
para se esconder.

mas não acredite.
não pense.
não sonhe.
não ame
mais uma vez.
não...
por favor.

4 comentários:

Denise disse...

Ah she, a que ponto chegamos... implorando pra não amar mais, não acreditar mais...mas perde quem se desfaz de tanta pureza e sensibilidade.

um amor lindo pra ti amanhã, já amanhã e acredita, viu moça?
Acredita!

beijos de carinho

Hotel Crônica disse...

Gostei muito do seu blog.

E ousaria dizer que te percebo.

Por isso seguirei seu blog, e voltarei por novos posts.

Abraços de quebrar a costela,
Blog Hotel Crônica

Ana disse...

Ah, mil sins!

CAROL disse...

Que o GRITO DE LIBERDADE ecoe em todo teu ser...ela te merece...
Que as primaveras exalem o perfume para ti...
Que as noites lindas te banhem de azul...

Xeros de quem tá te adimirando ao ver sons de LIBERDADE!!!!!!!!!