"o resto é mar. é tudo o que eu não sei contar..."

06 abril 2010

para aquele que tem fogo no nome

não. teu nome não gera paz.
teu nome tranca entre poucas letras
a sede e o fogo amalgamados.

teu nome segura firme
o verbo forte, conjugado,
em primeira pessoa,
indicando
o presente.

chamo teu nome
e me sinto abrasar.
grito teu nome
e já não me sinto.

desenho teu nome
na mente
e de olhos fechados
nem meu mundo
é meu.

só teu nome
que queima:
o barulho crepitante do fogo
me acorda desses sonhos.

me desfaço e penso
novamente no teu nome
que arde
bem mais em mim
do que em ti.

Um comentário:

eduardo disse...

meu pequeno sol!
mil bjs!